Um Ano Casados “Casamento é Ótimo, já fui em Vários”

"Casamento é ótimo, já fui em vários”.

Confesso que já usei dessa frase centenas de vezes anos atrás e a falava cheio de razão.

Depois, pra enfatizar, aprendi o complemento:
.-Pena que pros noivos dura mais que a festa.

– Por ironia do destino completamos recentemente (29/11/2020) um ano de casados e ADVINHA? Nem Festa tivemos

 

Essas frases eram sempre faladas em tom de brincadeira já que queria acreditar que quem se entregava a um casamento era pra ser feliz mas, via pouca luz no fim do túnel.

Mas, afinal, É pra rir ou pra chorar?

Dessas frases (terríveis) eu não sei, mas sobre o casamento: é pra rir, sorrir E pra chorar.

O que não pode é deixar de amar.

Familia Samira na Lua comemorando 1 ano de casados

Sobre Casamento

Estamos há Um ano unidos oficialmente pela “lei dos homens” na tentativa de explicar ao mundo o que o universo nos preparou, porque para nós a união verdadeira aconteceu enquanto estávamos deitados na cama do meu quarto com as nossas 4 mãos unidas no ventre da Renata cobrindo todo corpo da Samira (que devia ter poucos centímetros) e sentimos a energia mais intensa de todas as nossas vidas saindo do coração minúsculo que pulsava com a força de uma gigante atravessando todas as camadas do abdome da Renata e percorrendo por nossas mãos preenchendo todo nosso corpo como uma onda de pura energia vital.

 Nunca havia sentido isso na minha vida.

 

O tempo parou.

 

Olhamos um pro outro com os semblantes assustados e dissemos:

 

Você também sentiu isso?

 

Eu me lembro exatamente 

estávamos assim, olhando em direção ao céu e nos perguntando: 

 

 “o que fizemos das nossas vidas?

 

E com essa energia inexplicável o universo nos respondeu:

 

 

Não há o que questionar, vocês fizeram a vida.

Re Guerra gestante da Samira

Não sabíamos o que aconteceria com nós, não era nada fácil “aceitar” o que estava acontecendo mas eu sabia e sentia que eu tinha todo o amor da Renata e ela tinha o meu.

E que independente do que acontecesse estávamos juntos… fosse pra rir E pra chorar.

Certamente não sabíamos o que aconteceria com nós dali pra frente, mas naquela época iriamos chorar muito e por um bom tempo antes de finalmente rir.

 

 

Mas, Nunca deixamos de amar.

 

 

E foi assim que definitivamente começou o nosso casamento e o que realmente eu sei sobre ele.

Porque, antes disso, o que eu pensava sobre casamento era a verdade que contavam.

Era sobre experiências vividas (e contadas) pela pele dos outros, ou melhor, experiências que pra mim pouco diziam sobre a minha realidade mas que era o suficiente pra dizer “está tudo bem, prefiro evitar”.

 

Mas, estamos nessa vida pra escrevermos nossa própria historia ou vivermos embasados em experiências dos outros que geralmente pouco tem a ver sobre nós?

 

Bom, pra quem vive intensamente, veste a camisa da equipe (ou o véu e o terno) e se empenha no “tudo vai dar certo”, deixo aqui minha experiência pessoal e o que tenho a dizer ao completar um ano.

 

Sei que é apenas um primeiro passo sobre uma caminhada sem linha de chegada.

Então, o que escrevo aqui é uma verdade relativa e nada absoluta. Digo também que jamais será com intenção de professor e sim a de um aluno do qual ainda está aprendendo a fazer o dever de casa.

Aliança Renata Guerra e Rafa Abreu

 

Casamento no meu entender é encontrar a paz e a tranquilidade em simplesmente estar (independente de onde estiver) com outra pessoa, a tal ponto de não querer saber quando tudo isso poderá acabar, lembrando que se trata de um intenso encontro do qual repartirá tudo da vida de que se tem valor (apesar da parte financeira estar fortemente envolvida num casamento e ser muito importante, eu gostaria que destacassem outros fatores mais importantes nesse momento, como por exemplo O TEMPO), e desse modo vivenciar o máximo do respeito e altruísmo. Lembrar que continuam sendo duas pessoas únicas e cada uma com suas histórias, sonhos, gostos, desejos, opiniões pessoais e que decidiram por caminhar juntos para o mesmo rumo.

 

Por isso, no meu entender, um casamento só funciona e prospera se tiver total envolvimento de nada menos do que duas pessoas por inteiro.

 

 

Porque assim somos.

 

 

Cada um carrega consigo sua essência única (e deve continuar até o fim), seus próprios desejos, paixões, paciência, respeito, dedicação, boas intenções, sonhos e etc..

Mas, como toda pessoa completa, viemos no pacote da vida com Inseguranças, frustrações, medos, instabilidades emocionais… estamos aqui a partir de experiências passadas e esquecer de tudo isso ou querer diminuir é o começo dos passos divergentes.

 

E isso vale tanto para os motivos de alegria que devemos compartilhar e comemorar juntos quanto aos de tristeza, que devemos partilhar e dividir o peso juntos também.

 

Sim, é pra rir E pra chorar. E isso só é possível se nunca esquecer que o mais importante é amar.

.

O que quero dizer não é que precisamos estar sempre 100% bem e focados como seres humanos perfeitos que se entregam cegamente e que está sempre fazendo o certo, nunca errando e sempre convicto das atitudes.

 

A verdade é que a vida é cheia de obstáculos, vitórias e desafios, principalmente quando somado duas, mas ela é muito mais sobre como lidamos com a situação do que sobre a própria situação.

 Negligenciar todos esses fatores é deixar de enxergar as situações corretamente, e consequentemente não lidar corretamente com tudo que envolve o dia a dia e o casamento é feito de dia a dia…

 no meu caso, 365 dias.

se não observado dessa maneira, nunca haverá a desconstruções de ambos, para finalmente (Re)construir Juntos e ser família por definição.

.

 Nunca saberá o que de fato é se casar e unir-se. Pois, tirando todo o contexto histórico e religioso sobre casamento, casar é “união para CONSTRUIR uma familia”.

 

E assim, continuarão sendo apenas Um e nunca dois por inteiro, mesmo que acompanhado de outra pessoa.

 

 

 

 Entendo que quando somados dois seres por inteiro acontece uma 

 

Matemática Mágica da Vida:

 

 

Alegria compartilhada é multiplicada.

Tristeza dividida é acalentada.

 

Descanso compartilhado é um relaxamento profundo.

Trabalho divido é deixa que eu te ajudo.

 

Dinheiro compartilhado é próspero.

Gastos divididos é ainda mais próspero.

 

Tempo compartilhado é eternizado.

Pressa dividida é “calma eu te ajudo, vai dar tempo”, é tranquilizado.

 

A soma da vida diz que 1+1 por inteiro é rir, sorrir, chorar e nunca deixar de amar.

Amor dividido é se multiplicar.

 

Casar não é fácil, ser solteiro também não.

Cada um com suas dificuldades.

Não se trata de viver “felizes para sempre”, a vida não é controlável como um plano perfeito.

O “plano perfeito” é encontrar força e prosperidade por saber que a partir dali, não importa mais o que vai acontecer,

o amor verdadeiro vai sempre prevalecer e

por tempo indeterminado não seremos nada menos do que “dois por inteiro”.

 

Familia Samira na Lua no por do sol de Torrinha

E vocês?

O que vocês pensam sobre o casamento?

Adoraríamos saber as suas experiencias pessoais!

Nos ajudem a percorrer um bom caminho!

no final da página temos um bom espaço para isso!

Seja Bem Vindo ao Blog Samira na Lua
Siga nosso blog!
Familia Guerra Abreu - Samira Na Lua

Quem Somos

Somos uma família de músicos viajantes em (des)construção, se encontrando num mundo sustentável e ecológico. Queremos compartilhar tudo que estamos aprendendo e vivenciando nessa nova fase da vida. Sempre tivemos um estilo de vida diferente do habitual e uma gestação inesperada que poderia ser o “fim das nossas aventuras” (como diziam) tornou nossas escolhas com ainda mais sentido.

    Rafa Abreu é músico e médico por formação, trabalha em pronto socorro e viagens voluntárias desde 2016.

    Renata Guerra é modelo pelo mundo desde 2014, pelas agências Mega Modelo Brasil, MGM, The Lab, entre outras…

   ⇒ Samira é o resultado desse encontro.

Seja Bem Vindo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 2 =