O que saber para meditar

Renata Gerra meditando no Mirante da Janela - Chapada dos Veadeiros
Renata Guerra meditando - Mirante da Janela - Chapada dos Veadeiros

Esse texto pode ser um bom caminho para quem quer entender o que é meditação de forma simples.  Quero retirar a “barreira”  dessa prática tão benéfica que a grande maioria já evita conhecer só de ouvir o nome. Fiz um compilado de diversos tipos de meditações com o foco apenas em deixar acessível à todos e no final vou apresentar uma meditação guiada fácil, intensa e de graça no mundo inteiro

Nada melhor que alguém de confiança te guiando num caminho desconhecido.


O mais importante para esse plano dar certo é entender que se trata de uma “prática constante”, como todo exercício e aprendizado na vida, então pode ser que leve um certo tempo e dedicação para desenvolver cada fase da meditação.

SUMÁRIO

Rafa Abreu meditando no jardim

Porque meditar?

 

 Meditar é desenvolver um controle do seu pensamento, ou seja reduzir aquela ˜tempestade” que geralmente temos em nossa mente, para poder atingir o foco absoluto e finalmente concentrar em apenas um único pensamento. 

 

Então, meditar não é ausência do pensar? É Organizar os pensamentos, progressivamente, até chegar num estado de como se fosse um “super foco” da mente e cada linha de meditação explica esse estado de uma maneira diferente e tem um objetivo final

 

Assim fica fácil de perceber as vantagens dessa prática. É como organizar o quarto todo bagunçado e poder encontrar tudo com tranquilidade e facilidade dentro dele, e desse jeito você tem mais clareza e calma. 

 

Aí você me pergunta “mas, meditação não é relaxamento?” Bom, levando em consideração o seu “quarto bagunçado” se você chegar e apenas deitar, ou ficar bem tranquilo, ele vai se arrumar sozinho? Não, no máximo vai perceber que não é um “bicho de sete cabeças” e que é possível arrumar, mas você precisa “suar” pra pegar as coisas jogadas, limpar os móveis, guardar nas gavetas certas, às vezes vai encontrar coisas que estava procurando, e às vezes vai encontrar coisas que não gostaria de encontrar, mas tem que arrumar mesmo assim pra ficar 100% arrumado e como consequência finalmente relaxar.

Dá trabalho? Um pouco, e não é do dia pra noite, mas se organizar sua própria cabeça não te parece importante e necessário, esse desinteresse vai te limitar de evoluir em todos os seguimentos da sua vida. 

 

Ok, já entendi, mas como fazer isso? 

Vou te explicar mostrando 4 fases da meditação de uma forma didática. Lembrando que essas fases não são regras universais. Cada um pode buscar seu melhor caminho pra isso.

 

Não vou me prolongar nas infinitas definições, tipos e benefícios, pois quero deixar isso para os próximos posts. Não serve de nada você saber a vantagem e a história, se não praticar a meditação.  

 

A história bem breve é que não se tem muita certeza do tempo e da origem, mas é uma prática com muito mais de 3.000 anos de existência, surgiu provavelmente no oriente e seu benefício é comprovado tanto socialmente, quanto em exames de ressonância-magnética do cérebro, que identifica áreas mais desenvolvidas de uma pessoa que pratica frequentemente a meditação.

.

Então… vamos lá?

Entenda como meditar e suas fases

Fases da meditação

1ª Fase – Postura:  Vamos começar a ajeitar de “fora pra dentro”. 

Vamos começar pelo seu corpo físico.

Tem 3 posições que eu costumo sugerir pra iniciar: 

 

  1. Sentado numa cadeira, com os pés descalços apoiados no chão ( não tem problema se não puder ficar descalço) , pernas paralelas uma da outra, com a coluna ereta e as palmas das mãos sobre os joelhos apoiadas em cada perna. Essa eu considero a melhor pra quem nunca praticou ou não tem nenhum preparo físico. A mão pode ficar nas duas posições que citarei adiante.
  2. A clássica posição de lótus,  só que adaptada para ficar com as pernas mais relaxadas, então fique com as pernas cruzadas (igual “indio”), coluna ereta, e a mão direita acima da esquerda, e com os polegares se encontrando formando um circulo , apoiadas no colo. 
  3. Ajoelhado: sentado sobre os calcanhares, com a coluna ereta e as palmas das mãos sobre as coxas ou formando o círculo.

 

Você deve escolher aquela que não sentirá dor, incômodo com o tempo, ou formigamento nas pernas. A primeira geralmente é a melhor. A última é pra quem tem boa flexibilidade e tem o costume de ficar nessa posição por um longo período de tempo. (pelo menos 5 minutos)

Não tem problema nenhum se precisar de um travesseiro para sentar ou algo para se acomodar melhor.

 

O que fazer com a cabeça: 

Imagine que você tenha um fio amarrado no topo da sua cabeça, sempre puxando pro céu. Olhos podem estar fechados e boca fechada levemente sorrindo. Sinta os músculos do rosto relaxados, sem tensão na testa ou nos lábios. Isso reflete nos seus pensamentos.

 

 

As costas: 

 sempre ereta, se possível não apoiar para não se entregar na posição e acabar dormindo ou ficar totalmente sem postura.

 

As mãos:

  É uma das coisas interessantes da meditação, cada posição dela tem um significado e uma intenção. Sugiro pra ser breve: ou sobre as pernas, com as palmas para baixo, ou formando o “círculo”, imaginando como se esse círculo fosse o mundo e tudo que você ama, e que isso tudo está em suas mãos.

 

Já utilize desse momento pra entender seu corpo, entender sua posição, como você se sente, como você está, perceba que você tem o controle de todo seu corpo naquele momento… Comece já a “se enxergar” na posição.

 

Pronto! já demos o primeiro passo.

 

2ª Fase: Contemplação ou Foco:

 

Lembra do quarto bagunçado? Agora é hora de você “entrar nele”, contemplar e pegar o caminho para poder atingir a concentração que queremos. É uma das fases mais importantes, porque vejo que é aqui que as pessoas desistem por pensar que estão erradas

 

Você vai se deparar no meio de um turbilhão de pensamentos, e não tem problema nenhum, faz parte da arrumação. Comece a se concentrar em sua respiração, já que é algo que sempre estará presente e na maior parte do tempo é involuntária. Perceba como ela está, mas apenas contemple, não tente controlá-la. Perceba o ar entrando pelas narinas, e o caminho que ele faz até chegar aos seus pulmões e saindo em seguida. Sinta essa passagem do ar. Provavelmente você Terá muita oscilação da concentração. Os pensamentos irão ficar “saltando aos seus olhos”,  e o que fazer? conduza-o do modo que deve ser feito. Há POUQUÍSSIMOS problemas na vida que você terá que resolver exatamente naquele momento. Então, deixe-o gentilmente em seu devido lugar. Por exemplo: “Ok, preciso pagar esse boleto, já está anotado, assim que eu acabar, daqui 15 minutos eu farei isso” (os boletos não nos deixam em paz nem pra meditar) e simplesmente deixe esse pensamento passar, como uma nuvem num céu. Não julgue suas atitudes muito menos se cobre ou se culpe se os pensamentos voltarem, essa hora é para treinar exatamente isso: deixar cada pensamento em seu devido lugar e momento. E se der vontade de coçar ou espirrar? coce e espirre

Não deixe esses sentimentos ocupar o foco da sua mente. Caso essas distrações aconteçam, volte com calma a reparar na sua respiração, ou se sua posição está adequada. Com o tempo você pode utilizar outros sentidos sensoriais pra ajudar, como o vento batendo em sua pele, o barulho do pássaro ou do ambiente, e apenas sinta, nunca julgando. É aí que começamos a perceber o “agora”.

 A sua verdadeira existência. 

 

3ª Fase –  Concentração

 

Nesse momento sua concentração está mais estável e você está bem conectado com a sua mente. Mesmo que surja algum pensamento ou sensação, você não o julga, isso não te distrai. Você está percebendo e sendo o seu “verdadeiro eu“.

 

 Sem julgamentos, sem estereótipos, sem crenças limitantes.

 

 Comparando à arrumação do quarto: É como se você já tivesse entendido que tem que organizar as coisas e não fica mais reclamando, ou se perguntando porque deixou esse quarto tão bagunçado. Apenas está lá fazendo o que deve ser feito. 

Você sente a paz do momento. Entende que as coisas não são exatamente como queremos e está tudo bem. Essa hora você pode desfrutar da leveza, sem o peso dos “problemas” da vida, e perceber que a maioria das coisas nem são problemas de fato, são apenas momentos que foram depositados um sentimento exagerado. Os sentimentos bons começam a aflorar e você apenas vive o que está acontecendo naquele momento: O vento na pele. O Barulho do pássaro. O seu corpo do jeito que é e está.

 

4ª fase – Transcendência

 

Essa é a fase final, você apenas existe e seu corpo e mente está todo unido em um único pensamento. É como se seu corpo fosse sua mente, e seus sentidos sensoriaisnão te despertam mais nada. Você já não consegue perceber em que posição está, ou o que está acontecendo à sua volta. É tão espontâneo e sútil essa fase e necessita de tanto preparo que se você neste momento “pensar que conseguiu“, você com certeza não conseguiu, pois ao “pensar” nisso, você desviou sua atenção

Cada linha de meditação explica essa fase, e tem uma intenção diferente do uso desse momento.

Não seja apressado, não seja pretensioso, e não trate essa fase como um troféu a ser conquistado. Isso pode atrapalhar seu processo de meditação e causar frustrações

 

Apenas aproveite cada aprendizado e fase de desenvolvimento.

 Aproveite o “agora”.

 

Quando e por quanto tempo devo meditar?

 

Pode ser qualquer horário do dia, mas eu sugiro assim que acordar, como a primeira atividade do dia, e antes de dormirFunciona como “reiniciar” o sistema. Ou seja… pode ser agora!  

Não há uma regra ou um tempo limite. Se você tiver tempo livre, tente não se apegar ao tempo cronológico. apenas faça, sem cobrança.

Você pode começar de leve, cerca de 5 a 10 minutos por sessão para não ser algo que te pareça cansativo

 

Mas, como sei que “acabou o tempo” e devo “voltar”?

 

O ideal é colocar um despertador que não faça barulho que possa te assustar. A volta tem que ser tranquila. Ninguém gosta de ser acordado com susto e na meditação é a mesma coisa. Um app que eu uso é o InsightTimer, ele tem diversos modos de despertadores bem suave e você pode ver quantas pessoas meditaram ao mesmo tempo com você.

 

Assim que o “sino tocar”, permaneça de olhos fechados, não tenha pressa, comece a mexer os dedos bem lentamente, a alongar o pescoço, a esticar os braços suavemente, e vai abrindo os olhos bem devagar, como um “pouso suave”

 

Agradeça esse momento de paz, mesmo que por 5 minutos.

 

Agradeça a vida, ao dia que passou, ao dia que vai vir. 

 

Sahaja yoga e a Meditação guiada: a melhor maneira para iniciar.

Sahaja Yoga é uma meditação muito simples de praticar, principalmente quando guiada. Ela desenvolve o despertar da “realização do si”. 

 

 

 Quem desenvolveu  foi uma médica indiana chamada Shri Mataji, devido a sua enorme contribuição à humanidade ela foi indicada ao prêmio Nobel da Paz duas vezes, entre outros reconhecimentos tão louváveis quanto. Uma das filosofias mais importantes que ela fez questão foi de deixar é a de ser um conhecimento gratuito, inclusive presencial no mundo todo. 

 

Essa meditação se refere ao “último estágio” como uma “Consciência sem pensamento“, ou seja, você fica completamente alerta, mas sem pensar em nada, trazendo a paz e nos tornando “um com o todo”

 

A Sahaja Yoga é focada no despertar do chakra “Kundalini”.

 

Kundalini fica localizada na base da nossa coluna, no osso “sacro”, e é entendida como uma “cobra enrolada e adormecida”, ou seja, é uma energia adormecida dentro de nós que pode se despertar e representa nosso desejo verdadeiro. Esse chakra tem o poder do desejo puro dentro de nós e tem toda potencialidade de que somos capazes. 

 

É um verdadeiro despertar do que realmente somos.

 

Seu site deixa disponível tudo o que você precisa saber sobre ela e meditações guiadas em Audiotexto ou video logo na primeira página. 

 

Conheci essa meditação através da mesma pessoa que me falou pela primeira vez sobre meditar. Quando ela me falava da meditação em 2011 eu evitava conhecer como um “boicote pessoal”. Só em 2018 que aprendi e me lembrei de como deveria ter ouvido suas dicas. Em uma história dessas do acaso, em 2019 encontrei ela na fila para embarque em um voo de Portugal para o Brasil, e contei o tanto que a meditação mudou minha vida, e ela sendo instrutora do Sahaja Yoga, deu mais uma “dica de ouro”. Dessa vez não hesitei, assim que cheguei em casa fui pesquisar sobre e achei incrível. Mais um despertar.

Recomendo pra todo mundo.

 

Site:  www.sahajayoga.org.br de

 

"Muito prazer, adorei me conhecer."

Meditar é se conhecer de uma forma leve. Se despertar.

É se conectar com sua essência e poder se entender, se editar.

Espero que tenha gostado, se beneficiado e ao praticar

possa olhar pra si mesmo e dizer: 

Muito prazer, adorei me conhecer.

 .-Familia Samira na Lua

Rafa Abreu Chapada dos veadeiros
Cachoeira do Cordovil - Chapada dos Veadeiros
Familia Guerra Abreu - Samira Na Lua

Quem Somos

Somos uma família de viajantes em (des)construção, se encontrando num mundo sustentável e ecológico. Queremos compartilhar tudo que estamos aprendendo e vivenciando nessa nova fase da vida. Sempre tivemos um estilo de vida diferente do habitual e uma gestação inesperada que poderia ser o “fim das nossas aventuras” (como diziam) tornou nossas escolhas com ainda mais sentido.

 

Rafa Abreu é músico e médico por formação, trabalha em pronto socorro e viagens voluntárias desde 2016.
Renata Guerra é modelo pelo mundo desde 2014, pelas agências Mega Modelo Brasil, MGM, The Lab, entre outras…
Samira é o resultado desse encontro.
Seja Bem Vindo

Receba os posts em tempo real!

4 comentários em “O que saber para meditar”

  1. Beatriz Kraide Piedade

    Amados sobrinhos!!
    Que delicia “passear” por essas palavras, escritas de forma exemplar e vindas do coração! Vcs são tão especiais que me sinto privilegiada por tê-los!!!
    Sempre quis aprender a meditar, mas nunca entendi muito bem os diversos “chamados”, agora, através de vcs, vou iniciar essa prática, com amor e dedicação!! Parabéns pela iniciativa e por fazerem a diferença nesse mundo!! Amo muito vcs!!

    1. samiranalua@gmail.com

      Olá, Tia!!
      Muito obrigado pelo comentário, mas principalmente pela oportunidade de te reapresentar a meditação!
      Faça a Sahaja Yoga, é muito simples! já é um despertar muito intenso! só entrar no site ou clicar no video dessa página.
      Beijo tia, também amamos vocês!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + 8 =